Fevereiro a Florir

 

Que te pareces comigo,
Árvore do meu jardim,
Já eu tinha percebido,
Uma irmã igual a mim.

Mas agora foi demais,
Ver tuas mimosas flores
Nos ramos secos e nus,
A atrair admiradores!

Lesta corri para casa
Em busca do calendário.
Estamos no último dia
Deste Fev’reiro tão vário.

Peguei depois na caneta
E rabisquei no papel
Estes tão singelos versos
De rima sóbria, fiel.

Porque os q’ria escrever hoje,
Antes de tu, abrunheiro,
Te enfeitares de brancas flores,
Foi desejo verdadeiro.

Modestas as redondilhas,
Flores artificiais,
Não se comparam às tuas,
Formosas e naturais.

Imploro ao Senhor Meu Deus
Para te rever assim.
Sei que me vais encantar
Bela árvore do jardim!

(Maria da Fonseca)

 

 

(do blogue:
http://poesiadanatureza.blogspot.com
que sugiro visitem)