O que é, o que é

É a vida, é bonita e é bonita…
Viver!
E não ter a vergonha de ser feliz
Cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz…
Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser bem melhor e será
Mas isso não impede que eu repita
É bonita, é bonita e é bonita…
E a vida!
E a vida o que é? Diga lá, meu irmão
Ela é a batida de um coração
Ela é uma doce ilusão
E a vida
Ela é maravilha ou é sofrimento?
Ela é alegria ou lamento?
O que é? O que é?
Meu irmão…
Há quem fale que a vida da gente é um nada no mundo
É uma gota, é um tempo que nem dá um segundo…
Há quem fale que é um divino mistério profundo
É o sopro do criador numa atitude repleta de amor…
Você diz que é luxo e prazer
Ele diz que a vida é viver
Ela diz que melhor é morrer pois amada não é e o verbo é sofrer…
Eu só sei que confio na moça e na moça eu ponho a força da fé
Somos nós que fazemos a vida como der, ou puder, ou quiser…
Sempre desejada por mais que esteja errada
Ninguém quer a morte só saúde e sorte…
E a pergunta roda e a cabeça agita
Eu fico com a pureza da resposta das crianças
É a vida, é bonita e é bonita…”
(Gonzaguinha – O que é, O que é?)

 

(gentilmente cedido por Mariis do blogue:
http://www.melodiasdeliberdade.blogspot.com)

A folha que caiu no meu poema

O vento embalança a árvore
A folha cai serenamente,
Pálida, ocre, cinza
Desclorofilada,
Cansada de cobrir-se
De verdura, esvoaça.
Ora carente de seiva, seca,
Cheia de perfume maduro,
Cheia de essência, vaporosa,
Cheia de viver enverdecida.
Perdeu o elo, amarelou-se.
Nua caiu por terra, resignada,
Virou detrito, alimento de minhoca.
Úmida ficou, voltou ao barro.
Na forma de húmus transmudou-se,
Só pra fazer nascer outra plantinha
Cheia de luz, fotossíntese,
Cheia de sol nas folhas lustrosas.
Só pra recomeçar o ciclo
Só pra mudar a estação,
Depois da chuva cair
Cheia de azul,
Cheia de céu.

gentilmente cedido por João Ludugero
blogue: http://www.ludugero.blogspot.com