O Fado já é Património Imaterial da Humanidade

Distinção é uma alegria numa altura em que Portugal precisa de notícias positivas
27 de novembro de 2011

O secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, afirmou hoje em comunicado que a distinção da UNESCO ao Fado dá aos portugueses “alegria […] numa altura em que Portugal necessita como nunca de notícias positivas”.

Num comunicado enviado à Lusa, Francisco José Viegas, afirma que a decisão tomada hoje em Nusa Dua, na Indonésia, irá “contribuir para que as atenções do mundo se voltem para um dos emblemas da nossa cultura e do nosso talento”.

“Esta decisão – escreve o governante – dá-nos também, aos portugueses, um motivo de alegria. Alegria essa que, nos dias que correm, tem encontrado razões mais escassas para manifestar-se”.

“Devemos orgulhar-nos, todos, sem exceção, por o Fado ser agora Património Cultural Imaterial da Humanidade inteira”, afirmou Francisco José Viegas, acrescentando tratar-se “de um reconhecimento justo, que os portugueses não deixarão de festejar e de valorizar”.

A decisão do VI Comité Inter-Governamental da UNESCO “é uma notícia que nos honra e comove — e que, além do mais, surge numa altura em que Portugal necessita como nunca de notícias positivas”.

“Hoje, as fadistas e os fadistas, sejam cantoras e cantores ou guitarristas, compositores ou letristas, estão de parabéns. De cada um depende a continuidade de uma expressão musical que, pela sua qualidade, intensidade e tradição, alcançou agora este patamar, a acrescentar ao reconhecimento internacional que já conquistara”, acrescentou Francisco José Viegas.

O secretário de Estado felicita também “todas as entidades e individualidades que se envolveram neste processo ao longo destes anos”.

“Não posso deixar de saudar também toda a equipa da Candidatura do Fado à Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade na pessoa do senhor Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, e meu amigo, António Costa, a quem naturalmente já apresentei os meus cumprimentos e a quem felicito especialmente”, lê-se no mesmo comunicado.

Francisco José Viegas, “em nome do Governo português”, cumprimentou aos delegados dos 24 países que integraram o VI Comité Intergovernamental da UNESCO que “criteriosamente avaliaram tanto esta como as restantes candidaturas”.

Os 24 Estados que constituem o Comité são: Albânia, Azerbaijão, Burquina-Faso, China, Chipre, Coreia do Sul, Croácia, Cuba, Espanha, Grenada, Indonésia, Irão, Itália, Japão, Jordânia, Madagáscar, Marrocos, Nigéria, Níger, Omã, Paraguai, Quénia, República Checa e Venezuela.

A candidatura do fado a património Imaterial da Humanidade foi aprovada por unanimidade pela Câmara de Municipal de Lisboa no dia 12 de maio de 2010 e apresentada publicamente na Assembleia Municipal, no dia 01 de junho, tendo sido aclamada por todas as bancadas partidárias.

No dia 28 de junho de 2010, foi apresentada ao Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, e formalizada junto da Comissão Nacional da UNESCO. Em agosto desse ano, deu entrada na sede da organização, em Paris.

@Lusa
———————————————————–//…………………………

……………………………………………………//……………………….