PÉROLAS DO PASSADO – O TELEFONE (gentilmente cedido por Lani Célia)

Pérolas, caixinha de veludo,
Coração jovem, acreditando em tudo,
Cada uma delas seria, um ano,
De vida juntos, brindando…

Anos ali, guardando,
Para ela, muito simbolizando,
Tudo com ele compartilhando,
Festa, agora com filhos, juntos, festejando…

Muito mais pérolas, ele quis lhe dar,
Mas ela, só queria das dela cuidar,
Homem maduro, bonito, se afastando,
E a mágica, sendo vencida… acabando…

Naquele ano, para sua festa, contudo,
Ao abrir a caixinha de veludo
As pérolas, brilhavam, molhadas,
Como se, lágrimas, sobre elas, houvessem sido, derramadas…

Ao entrar na festa, coração batendo, do peito, quase saltando,
Como sempre suas pérolas, usando,
Viu no colo da outra, um colar de pérolas,
Igualzinho ao dela… Ostentando…

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

O TELEFONE

O telefone tocou, acordei assustada,
Não precisei correr…
Só tive que atender…
Embaixo do travesseiro, como sempre estava.

Tua voz diferente, no “alô” soava,
Meu coração cada vez mais, acelerava,
Foram segundos eternos…
Respiravas forte, mas, nada falavas…

O sangue gelou-me nas veias,
Minhas têmporas pulsando…
Mãos suadas, tremendo…
Vistas embaçadas, já com lágrimas correndo…

A madrugada parou, naquele segundo…
Eu antevendo o fim do mundo…
Foi quando te ouvi, murmurando…
-Oi só liguei para te dizer…
-Que te amo muito… “Mais uma vez…”

Lani

(sugiro uma visita ao seu blogue

http://zilanicelia.blogspot.com)