Quixotesca – Soneto – Ubirajara Mello de Almeida

Beijei as mãos como se fossem pés
Na sutil paixão da boca em fogo
Quando os corpos quentes e fiéis
Se entregam a sedução do jogo.

Alucinado repeti o beijo
Confirmando lasso todo intento
De sedutor morto de desejo
Na fonte que cobiça o sedento.

O anjo amado ruboriza a face
Fria e foge do fatal galante
Faminto como larva na alface.

Cheirando a mão doce de perfume
Ainda tonto o solitário amante
Despertou numa poça de estrume.

Fonte: AVSPE)