gentilmente cedido por Jorge Luiz Vargas

Não me perca, sem antes saber por que falhei. Quem sabe assim você possa me entender e pensar comigo como não me perder de você.
Não me perca, sem me conhecer totalmente. Quem sabe assim você consiga me ensinar a entender você, e comigo sentar e conversar sobre nós.
Não me perca, por achar que somos ponto final, se mal começamos nosso ponto de partida, se em nossas idas e vindas não conseguimos colocar dois pontos, e definirmos o que queremos em nós.
Não me perca, por uma simples fantasia, que pode te alegrar apenas em um dia, e te deixar com saudades de mim pra sempre.
Não me perca, sem antes experimentar tudo de mim. Se perder e se encontrar. Viajar, ir ao céu, tocar na lua. Sair de mãos dadas, passeando pelas ruas.

Me perca só depois de duas vezes pensar, se no fundo do seu coração não existe o desejo de me querer para ser seu par, e pra sempre juntos na vida caminhar.
Me perca, mas com a certeza que é isso que quer, para amanhã seu coração não dizer que sou aquele que você queria amar, mas cedo desistiu de tentar.
Mas não se perca de mim, antes de dar-te uma única chance de saber que jamais alguém te amou tanto assim. Já é um bom começo pra você não se perder de mim, nem eu perder você… E eu mesmo me perder pra sempre de mim.

(*)Publicado no meu livro Momentos – Eu, você, a Lua e a poesia (maio-2009) – P. 19
Ed. Kelps – © By Jorge Luiz Vargas – ® ISBN 978-85-7766-508-5 * FBN-EDA 477219-900-51

veja a sua página no Facebook

Não diga tudo o que sabe, porque quem diz tudo o que sabe
muitas vezes diz o que não convém;
não faças tudo o que pode, porque quem faz tudo o que pode, muitas vezes faz o que não deve;
não acredite em tudo o que ouve, porque quem acredita em tudo o que ouve, muitas vezes julga o que não vê;
não gaste tudo o que tem, porque quem gasta tudo o que tem, muitas vezes gasta o que não pode.

Provérbio árabe