Gentilmente oferecido pela SECRETA

Mergulho no abismo uma e outra vez,

          perco-me em mim, nas areias

           movediças da existência.

corpo ao abandono,

olhos entreabertos,

o vazio por dentro,

Sou incompleta, como o vento que sopra lá fora e me rasga a voz.

É estranho e cruel, este sentir. Se houvesse ao menos, quem o pudesse perceber…

Escrito por Secreta

sugiro uma visita ao seu blogue:

http://secreta23.blogspot.com