PÁGINA EM BRANCO – Célia Laborne(cedido)


 

Amo teus olhos

pelo instante que se prendem aos meus;

– teus olhos de carícia inviolável –

e tua face de mármore

onde se escondem os deuses.

Amo a página branca

de nossas vidas

onde pousam as garças,

onde nascem os lírios,

e as gaivotas se amam.

Quero os teus lábios mudos

porque os monstros

espreitam tuas palavras

para desfazerem o encantamento.

Eles não permitem

o nosso encontro.