Ninguém Meu Amor

Ninguém meu amor
ninguém como nós conhece o sol
Podem utilizá-lo nos espelhos
apagar com ele
os barcos de papel dos nossos lagos
podem obrigá-lo a parar
à entrada das casas mais baixas
podem ainda fazer
com que a noite gravite
hoje do mesmo lado
Mas ninguém meu amor
ninguém como nós conhece o sol
Até que o sol degole
o horizonte em que um a um
nos deitam
vendando-nos os olhos

Sebastiao Alva

(retirado da página do Facebook
de Anabela de Araújo, com a
devida autorização).

A propósito de A SEVERA

“A Severa” estreia a 18 de Junho de 1931 no cinema S. Luís. Baseado na obra de Júlio Dantas foi o primeiro filme sonoro realizado em Portugal, embora a sonorização tivesse que ser feita nos estúdios da Tobis, em Épinay-sur-Seine na França. Custou 1800 contos e foi um enorme sucesso de bilheteira, estando 6 meses em exibição. Intérpretes: Dina Teresa, António Luís Lopes, Silvestre Alegrim entre muitos outros.
Argumento: A história da famosa cigana Severa e de seus amores por um jovem cavaleiro e fidalgo, D. João Conde de Marialva. O problema é que este está dividido entre a Severa e uma rapariga de sangue azul. Baseado na obra de Júlio Dantas onde ressaltam os costumes populares e a sociedade de 1848.


………………………………………………………………………………
Severa, existe alguém mais bela do que eu?
Projecto MALABAR(terminado)
Execução: José António Aires Pereira e pode ser vista as várias fases
da criação da mesma, no blogue de ANA VIDIGAL
http://anavidigal.blogspot.pt