Arte conceitual: natureza e cotidiano

O artista conceitual Rune Guneriusseu cria várias instalações em locais inóspitos da Noruega. Seu trabalho faz referência, principalmente, à natureza. Ele isola objetos em lugares improváveis, criando incríveis instalações. Mesas, cadeiras, luminárias, livros e telefones são alguns dos objetos com os quais trabalha. De acordo com o próprio artista, tais instalações são uma abordagem do equilíbrio entre natureza e a cultura, mas também uma leitura múltipla de histórias. Confira.

Fonte: OBVIOUS(rejane borges)

Um post sobre a Irlanda. Uma singela homenagem a um país que gostaria de visitar mais, pois está lá alguma da minha família, sobretudo três crianças de quem tenho sempre muita, muita saudade.

Museu dos Escritores:
Fica em Dublin, na Irlanda, e apresenta objetos dos mais famosos escritoresirlandeses como James Joyce, Bram Stoker, Jonathan Swift e Oscar Wilde; além de William Butler (W.B.) Yeats, George Bernard Shaw, Samuel Beckett e Seamus Heaney, todos quatro ganhadores do Prêmio Nobel que influenciaram a literatura universal ao escreverem suas obras como Ulisses.

Fonte: http://www.dignow.org

O Medo De Nós Próprios
Acredito que se um homem vivesse a sua vida plenamente, desse forma a cada sentimento, expessão a cada pensamento, realidade a cada sonho, acredito que o mundo beneficiaria de um novo impulso de energia tão intenso que esqueceríamos todas as doenças da época medieval e regressaríamos ao ideal helénico, possivelmente até a algo mais depurado e mais rico do que o ideal helénico. Mas o mais corajoso homem entre nós tem medo de si próprio. A mutilação do selvagem sobrevive tragicamente na autonegação que nos corrompe a vida. Somos castigados pelas nossas renúncias. Cada impulso que tentamos estrangular germina no cérebro e envenena-nos. O corpo peca uma vez, e acaba com o pecado, porque a acção é um modo de expurgação. Nada mais permanece do que a lembrança de um prazer, ou o luxo de um remorso. A única maneira de nos livrarmos de uma tentação é cedermos-lhe. Se lhe resistirmos, a nossa alma adoece com o anseio das coisas que se proibiu, com o desejo daquilo que as suas monstruosas leis tornaram monstruoso e ilegal. Já se disse que os grandes acontecimentos do mundo ocorrem no cérebro. É também no cérebro, e apenas neste, que ocorrem os grandes pecados do mundo.

Oscar Wilde, in ‘O Retrato de Dorian Gray

Fonte: http://www.citador.pt

A foto de As Portas de Dublin foi-me cedida pelo fotógrafo GERMAN
do blogue: http://banchios.blogspot.com

que sugiro visitem.