Ao meu amigo O ARABE (eu desejo muitos anos de vida) e que o susto que sofreu esta semana não se repita.

Dia virá em que não mais andarei entre vós.

Pois o mundo, o Tempo e a Vida não detêm a sua marcha. E, como o fizeram meu pai
e o pai de meu pai,, abandonarei as vestes que me servem durante esta jornada.
Quando assim acontecer, que não vos entristeça a minha ausência; porque aquele que pranteia o ser amado transforma em mágoa a recordação que deveria trazer felicidade.

Pobre é o homem que lamenta o cajado abandonado a um canto, quando as asas da liberdade substituem os passos trôpegos da velhice e o levam a descobrir um novo mundo.

Não me deveis ver como o corpo que se desfaz sob a terra; mas como a ave que cruza o infinito do céu, após o merecido descanso da noite, rumo a um novo amanhecer.

Sabei que cada um de vós ocupou um espaço muito próprio em meu coração. E nada vos afastará da minha alma, enquanto a Vida existir em mim.

E sabei que fostes a razão da minha vinda e a causa das minhas palavras; obrigado por terdes permitido que juntos aprendêssemos e por tudo que me ensinastes.

Conservai-me em vossas lembranças. Porque, enquanto o fizerdes, eu estarei nos raios de sol que vos acariciam o rosto em cada dia e na lua que ilumina as vossas noites.

E estarei em cada música que juntos ouvimos, em cada palavra que trocamos; nos sonhos e desenganos, nos risos e nas lágrimas que entre nós repartimos.

Conservai-me em vossas lembranças. Porque assim me encontrareis em vós, todos os dias. E eu não serei a tristeza que vos martiriza, mas o carinho que vos faz sorrir.

Pois o rio, ainda que parem de correr as suas águas, sobrevive nas plantas que um dia ajudou a brotar; e a flor já ressequida permanece viva na memória de quem a recebeu.

Conservai-me em vossas lembranças. E me encontrareis em uma canção que ouvirdes, em alguém que encontrardes e até na paz do silêncio; porque estarei em vosso coração.

E tereis a minha companhia, quando vos buscar a solidão. Pois, esteja eu aonde estiver, convosco estarão os meus pensamentos e todas as forças da minha alma imortal.

Dia virá em que não mais andarei entre vós.

E, entretanto, ninguém vos poderá afastar do meu verdadeiro Eu.

Na terça-feira passada, uma parada cardíaca quase encerra esta minha jornada.

Daí a necessidade de dizer o que sois para mim.

………………………………………………………………………………

Meu amigo: desejo que tal não se repita, que o seu estado de saúde possa melhorar,
temos sido excelentes amigos neste mundo da blogsfera(muito aprendi consigo sobre
a vida) e quero continuar a aprender.
Sei que a vida é uma passagem, mas eu desejo que o amigo se mantenha por cá, tá?
Um beijinho muito, muito grande e o forte desejo das suas melhoras.
O blogue de O ARABE é:
http://ohassan.blogspot.pt