Plagiar…

A madrinha deste meu blogue está muito triste, porque têm plagiado o seu blogue…

Não é digno usar o  trabalho de X pessoa como se seu fosse…

Deve dar-se sempre o crédito ao criador, pois esse sim, teve a inteligência,

sensibilidade e trabalho na criação.

Como sabem coloco neste blogue, muita poesia. Muita dela cedida

(com antecipado pedido de autorização) e outras retiradas de livros

também referidos. O mesmo acontece a outros níveis.

Sempre fui e serei muito grata,  a todos os que me têm cedido os

seus trabalhos, e às vezes a dificuldade é publicar todos.

Espero meus amigos, fazer sempre as coisas de maneira correcta,

porque é essa a minha forma de estar na vida.

 

(imagem: Paolo Veronese)

 

 

 

 

 

 


Uma parte de mim pesa, pondera: outra parte delira

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:

fundo sem fundo.

Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir uma parte
na outra parte
— que é uma questão
de vida ou morte —
será arte?

Ferreira Gullar

(extraído do Facebook da
página de Anabela de Araújo)