É NOITE NO MEU PAÍS de ROSA SOLIDÃO


É noite no meu País…no rosto dos nossos filhos há tristeza
É de desesperança o caminho…sem presente e sem futuro
Segue em frente sem medo…gritando em coro a incerteza
Rompe as correntes…derruba com a voz da razão esse muro

É noite no meu País…há desalento nos olhos do meu povo
Raiada de negro…desfralda-se ao vento a minha bandeira
Já nem é cor de esperança nem de sangue…tinge-a de novo
Com as belas cores rubras…sacode-lhe do orgulho a poeira

É noite no meu País…leva meu povo a revolta a passear
Solta as palavras que guardaste para o tempo de liberdade
Levanta a tua mão e acusa quem os teus filhos está a roubar
Não sorrias magoado…planta enfim os cravos da igualdade

É noite no meu País…é inverno na alma do meu nobre povo
Tangem sinais de descrença…levanta os braços cansados e luta
Pelo Portugal prometido…fá-lo das cinzas renascer de novo
Unidos na mesma crença…bebendo do mesmo copo a sicuta

É noite no meu País…a madrugada dos cravos está morrendo
O pão dos teus filhos está minguando…o sol deixou de brilhar
Com a indiferença dos verdugos deste povo…sempre crescendo
Caminha sem medo meu povo com um grito de revolta no olhar

No limite das forças…no fio da navalha
Assim caminhas meu País…desencantado
Vilipendiado e vendido pela escumalha
Grita meu povo por um Portugal libertado

(Agradeço imenso à Rosa Maria madrinha deste blogue,
a gentileza desta cedência.)
Sugiro visitem o seu maravilhoso blogue:
http://rosasolidao.blogspot.com