PROPAGAÇÃO
Célia Laborne

Um dia eu soube
que o silêncio é a paz
mas também é voraz.

Se dele te encantas
é porque és capaz
de sentí-lo e vive-lo.

Mas agora terás
que semeá-lo no tempo,
no campo e no mar
sem se machucar.

Um dia eu soube
que o silêncio é vida
de doce falar.

– Como não o propagar? –

Morri ontem meu amor… de ROSA MARIA(cedido)

Morri ontem meu amor…vesti de cinza o meu corpo noite

Percorri os farrapos dos meus sonhos…amordacei os gestos
Vesti o meu olhar de estrelas cadentes…tentei enganar a morte
Prendi nas mãos a penumbra…caminhei sobre os meus restos

Morri ontem meu amor…docemente fechei as mãos ao cansaço
Caminhei sem mim…serenamente deixei correr todas as lágrimas
Adormeci no esquecimento…perdida entre o tempo e o espaço
Despi da noite o luar…desfolhei as rosas…bebi todas as mágoas

Morri ontem meu amor…o crepúsculo venceu a madrugada
Meu olhar tocou a mágoa…o meu corpo frio afagou a morte
Enlaçou nas mãos a eternidade…caminhou rumo à álvorada
Despido de ternura…adormeceu sereno nos braços da noite

Morri ontem meu amor…tão cansada de ser…tão nua…tão noite
Tão perdida de estar…tão ausente de viver…tão despida de sentir
Folha solta ao vento…nuvem negra vagando na sombra da morte
Por entre rosas…por entre cardos…deixa-me meu amor partir

Morri ontem meu amor…despida da dor que me cobre o corpo
Perdida dos sonhos que teci…rasgando os silêncios que gritei
Num tanger de viola…num sussurro quase mudo…quase rouco
Na minha alma quase branca…na eternidade que chamei

Morri ontem meu amor…no aconchego do teu corpo ausente
Envolta na solidão…ficou a lembrança duma lágrima perdida
Poisa em mim a noite…a noite negra…tangendo um canto dolente
Num murmúrio em silêncio…chamo por mim…choro pela vida

Escrito Por:Rosa Maria

(sugiro uma visita ao seu blogue:
http://rosasolidao.blogspot.com )