de Eugénio de Sá(O Sótão da Saudade)

Como um velho conhaque que se apura
Com a passagem dos anos, e a doçura
Lhe avulta as castas nobres e os odores
Também da vida o que é melhor vivido
Que encerra em si os sabores do antigo
Escondemos entre as sobras dos amores.

E escolhemos um sótão sem idade
Onde vamos guardar toda a saudade
Dos êxtases maiores do coração
Lá, é perpetua a dor que nos ficou
P’la ausência do amor que nos deixou
É lá que vamos em peregrinação.

E se poeta for quem assim sente
Mais sofrerá com esse amor ausente
Pois a poesia é feita do sofrer
Das almas que outras almas já amaram
E assim delas carentes se ficaram
Sem mais esperar da vida que morrer.

(obrigada a Maria da Fonseca
que mo enviou)

Autor: sinfoniaesol

Viver é o mais importante de tudo e se for com amizade, amor e saúde, que mais pedir?Viva a Vida!!!

Um pensamento em “de Eugénio de Sá(O Sótão da Saudade)”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s