Morreste em mim de ROSA MARIA é o poema escolhido para o post MIL deste blogue.

barra azul1000 posts

MORRESTE EM MIM…

Morreste em mim…morremos um no outro tão ausentes
Assistindo à minha morte e brindando com cicuta à solidão
Como um pássaro cativo lanço à terra as minhas correntes
Sem saber quem sou ou se existo…se sou real ou só ilusão

Morreste em mim…e eu continuo morrendo em cada noite
Sem saber por onde caminhei…tão perto e tão longe de ti
Com o coração entre as mãos e o corpo afagando a morte
Adormecendo a noite que se deita comigo…vazia de mim

Morreste em mim…deixei de esperar por uma noite de amor
Que me gelou o corpo que foi lume…sangue que foi paixão
Orgasmo que foi desejo…escorrendo do meu corpo em flor
E hoje é o lugar sombrio que tu habitas…apenas recordação

Morreste em mim…tristemente como uma noite sem braços
Tocando dolorosamente a minha pele…sedenta e abandonada
Onde adormeceram as tuas mãos e nasceram os meus cansaços
Foi aí que morreste em mim…no frio que habita a madrugada

Morreste em mim…num lugar sombrio em que estás sem estar
Nas rosas que me deste cobertas de espinhos e perfume de dor
Neste silêncio que nos une…no tudo que me deste sem me dar
Nas noites em que morri em mim…solitária e prenhe de amor

Morreste em mim…quebrei as correntes…cumpri a minha pena
Deixei que as folhas mortas do Outono cobrissem o meu leito
Envolvi-me com o vestido vermelho do amor e esperei serena
Que as rosas que me adornaram voltassem a florir no meu peito

Escrito por : Rosa Maria

Irene

(Gentilmente recebido da Rosa Maria. Obrigada)