PIANO

rosa-e-teclado-de-piano-12350428Piano,
baixinho,
tão baixo que apenas ouço
a respiração das sílabas tónicas,
chamam por mim.

Alguma serenata
à vizinha do 1º esquerdo,
penso eu,
já que a noite
ainda cresce subtraída.

Mas o piano
enfurece-se
e até as sílabas átonas aborrecem,
ressoando sem nexo
nas galerias,
nos muros
e nos átrios do meu cérebro.

E eis que sou uma nau
a balançar
no meio de procela adamastórica
a passar pelo Cabo da Boa Esperança,
de tormentas
e naufrágios atulhado.

E quando o mar já entra pela amura,
acordo.
Mudam-me as fraldas…

Poema: Nilson Barcelli © Outubro 2013

Sábado, 19 Outubro, 2013

(extraído do seu blogue, com devida autorização.
http://nimbypolis.blogspot.com )