Era muito jovem quando comecei a gostar de Simone de Oliveira

simone

Eu e mais algumas amigas, então no tempo do Fascismo,

criámos o seu Clube de Fãs. Depois para o legalizar tivemos

que lhe dar outro nome(que o Fascismo aceitasse), que foi:

Grupo de Beneficiência de Simone de Oliveira. Todavia outros

clubes de fãs proliferaram, obviamente sem estarem legalizados.

Passado algum tempo, como tudo na vida, teve um princípio e um

fim, e acabou. Mas não a minha admiração pela cantora e pela

mulher de nome: Simone de Oliveira.

Mas isto tudo para vos falar de um livro de 2013: SIMONE Força de Viver, da

materia-prima edições, que foi escrito por Simone e a jornalista Patrícia Reis.

É um livro de 181 páginas, com um preço acessível e penso que quem gosta de

Simone ou tiver curiosidade de saber um pouco mais sobre a mesma, pode comprar.

barra-azulE transcrevo uma poesia que vem logo no início do livro:

Quase que não me importa

que digam: não és capaz!

Eu vou sempre, vou em frente.

Leva-me um vento qualquer

Que nunca sei de onde vem

Se é um vento que vem para ficar

Ou se é um meio de viagem

Terei ou não de parar.

Quase que já não me importa

Os sorrisos encobertos

As pedras no meu caminho

Os conselhos dos espertos

Que pensam só, por vaidade,

Que só têm importância

Palavras de circunstância

Com cheiros de caridade.

Quase que já não me importa

Aqueles que dizem ser

Capazes, de não correr

Atrás de uma luz qualquer

Porque apesar de insegura

Vivendo vidas à toa

Tenho alma de pessoa

E o meu nome: Mulher.

Simone 1987

 

 

 

Irene Alves