Deixa Flores nas Minhas Mãos…

rosaaaaaa

Quando as tuas mãos geladas deixarem de me afagar na noite
E o silêncio escorrer gota a gota entranhando-se no meu corpo
Desenhando nos umbrais do tempo o meu nome no horizonte
Que o silêncio seja uma valsa triste…eco de um sonho louco

Quando na noite se despe o luar…escuto uma voz a soluçar
É uma rosa negra a entoar docemente uma melodia de amor
Rasgo as sedas do desejo…abraço o meu corpo e fico a sonhar
Tangendo na alma ecos do passado num fado de mágoa e dor

Quando as palavras da minha boca se apagarem e o meu olhar
Se transformar na cinza fria onde bordo docemente a nostalgia
E quando o meu corpo fremente de amor deixar de te procurar
É porque a minha alma se despiu do corpo que foi teu um dia

Quando de violetas perfumar o meu leito e de silêncio o olhar
Deixa que a ausência se deite sobre mim e afague a minha dor
Que enfim me eleve ao céu como se fosse uma estrela a brilhar
E quando o meu coração parar…deixo-te uma lágrima de amor

Quando eu fôr apenas uma flor tombada no chão…dá-me a mão
E guia a minha alma pelos corredores infinitos do esquecimento
E quando a noite cair…vem beber a saudade e brindar à solidão
Na madrugada fria da lonjura…serás o mármore onde me deito

Quando o meu corpo descer à terra e a minha alma subir ao céu
E minha pele se despojar de tudo que a vestiu…acende uma vela
E antes que a bruma eterna desça sobre mim o seu vaporoso véu
Deixa flores nas minhas mãos como se eu ainda fosse primavera

Escrito Por : Rosa Maria

(extraído, com a devidas autorização,

da sua página do Facebook. Sugiro

uma visita ao seu blogue:

http://rosasolidao.blogspot.pt/