Socialista diz que revisão dos estatutos foi «ilegal» e «lamentável»

Publicado a 31 MAR 12 às 22:23

O deputado socialista, André Figueiredo, considerou hoje que o processo de revisão dos estatutos em Comissão Nacional foi ilegal, representando um episódio «lamentável e sem precedentes» na história do PS.

A posição de André Figueiredo, ex-secretário nacional do PS para a Organização, foi transmitida à Agência Lusa numa nota, em reação à aprovação da revisão dos estatutos na reunião da Comissão Nacional, na qual não esteve presente.

Para este ex-dirigente do PS, a forma como a Comissão Nacional procedeu à revisão dos estatutos é «grave, inadmissível, lamentável e sem precedentes».

«A história do PS não permite nem merece este acontecimento. A alteração estatutária aprovada está ferida de ilegalidade, atento o facto de não se terem preenchido os requisitos estatutários necessários para que a revisão estatutária pudesse vir a ter lugar», sustenta o deputado do PS.

Segundo André Figueiredo, «nem na convocatória aos delegados do congresso constava um qualquer ponto que referisse essa alteração estatutária, nem o congresso nacional votou uma qualquer proposta que mandatasse a Comissão Nacional a fazê-la».

«O artigo 117º [dos estatutos] é claro e refere que os presentes estatutos são alterados por deliberação do Congresso Nacional ou por deliberação da Comissão Nacional, se o Congresso lhe atribuir delegação de poderes para tanto, devendo, em qualquer dos casos, a alteração estatutária ter sido previamente inscrita na ordem de trabalhos do Congresso», sustenta André Figueiredo.

A POESIA
Célia Laborne Tavares

Quando os anjos povoam a noite
e a luz veste
e o vento os beija
a poesia te rouba aos destinos
e te traz para mim.

Quando os lagos abandonam os reflexos
e as águas dormem
no silêncio das estrelas
a poesia te entrega ao meu capricho.

Eu lhe construo um altar
cumulo-a de presentes
e a enfeito de luzes
para que a cada dia
renove a tua vinda
dsssdsdsd

O secretário-geral do PS admite demitir-se se perder para António Costa as eleições primárias para escolha do candidato do partido a primeiro-ministro, disse hoje fonte da direção socialista.

António José Seguro “já disse publicamente que, no caso de não vencer as eleições primárias, saberá tirar as devidas ilações políticas”, referiu a fonte oficial, acrescentando “leia-se, demite-se”.

A mesma fonte da direção socialista recusou que a proposta apresentada por Seguro na Comissão Nacional realizada no sábado no Vimeiro, Torres Vedras, para escolher o candidato do partido a primeiro-ministro através de “eleições primárias abertas a militantes e simpatizantes do PS” signifique uma liderança bicéfala.

António José Seguro convocou para segunda-feira uma reunião do Secretariado Nacional do partido e para quinta-feira a Comissão Política Nacional para preparação das eleições primárias para escolha do candidato a primeiro-ministro

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/seguro-demite-se-se-perder-as-primarias=f873408#ixzz33QEUhGV3
seguro

LE PEN

A líder do partido de extrema-direita francês Frente Nacional, Marine Le Pen, disse hoje que quer destruir a União Europeia (UE), mas ressalvou não querer destruir a Europa, e defendeu projetos de cooperação como Airbus e Ariane.

“O que eu quero é destruir a UE, não é a Europa. Acredito numa Europa de nações. Acredito na Airbus e Ariane, numa Europa de cooperação, mas não quero esta União Soviética Europeia”, disse Le Pen numa entrevista à revista alemã “Der Spiegel”.

A líder do partido de extrema-direita francês também rejeitou a ideia de que a UE é um projeto de paz, e disse que a Europa é hoje uma representação da guerra económica.

“A Europa é a guerra. A guerra económica, um aumento das hostilidades entre os países. Os alemães são insultados e acusados ed crueldades, os gregos são acusados de gastadores e os franceses de vagos”, acrescentou.

De acordo com Le Pen, atualmente, a chanceler alemã, Angela Merkel, “não pode ir a qualquer lugar sem ser protegida por centenas de polícias”, o que diz “não ter nada a ver com a fraternidade”.

Le Pen disse também que um euro forte, como quer a Alemanha, arruina a economia francesa, mas ressalvou que isso não implica um ataque a Merkel.“Quando ouço ataques à Alemanha digo: não podem culpar a Sra. Merkel por defender os seus interesses. Não posso criticar Merkel por defender um euro forte.

As críticas que faço é aos nossos políticos que não defendem os nossos interesses. Um euro forte arruína a nossa economia”, disse Le Pen.

A Frente Nacional foi o maior partido nas eleições europeias em França, com 25% dos votos.
Le Pen

O ex-líder do PSD defende que António Costa não tinha outra hipótese se não candidatar-se à liderança do PS e acredita que o autarca de Lisboa tem mais condições para ganhar as legislativas.

“António Costa tem condições para poder aspirar a uma maioria absoluta, Seguro não tem. António José Seguro não foi visto como alternativa ao Governo, o mesmo não acontece com António Costa”, disse hoje Marques Mendes no seu habitual comentário na SIC.

Para o comentador, uma vitória de António Costa no PS deve obrigar a uma remodelacao governamental “até ao verão”. “Há muitos ministros que até podem não ser polémicos, mas estão cansados. O Governo deve mudar o discurso, passar a ser mais virado para as pessoas e menos para os mercados”, defendeu.

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/marques-mendes-diz-que-antonio-costa-pode-chegar-a-maioria-absoluta=f873352#ixzz33NB2d7eT
marques