Poema em Linha Recta – Fernando Pessoa/Alvaro de Campos dito por Osmar Prado

Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe – todos eles príncipes – na vida…

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos,

Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?

Então sou só eu que é vil e erróneo nesta terra?

Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos – mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que tenho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.

obrigada Joaquín

O que têm estes dois homens em comum?

passos-coelho-af69
O que têm em comum Passos e Berlusconi? Para o professor universitário e antigo deputado do Bloco de Esquerda, José Manuel Pureza, muito mais do que possa parecer à primeira vista. É que, ao criticar os juízes e ao avançar com um pedido de aclaração, o primeiro-ministro português cola-se ao ex-chefe do Governo italiano.

Escreve José Manuel Pureza esta sexta-feira ano “Diário de Notícias”: “Passos Coelho decidiu imitar Berlusconi. O personagem acusava os juízes de serem todos de esquerda e, por isso, o perseguirem abusando da lei. Passos Coelho não faz menos do que isso: o pedido de aclaração é a versão cínica do primarismo berlusconiano contra os juízes”.

“Cá na minha, imitar Berlusconi, além de mau gosto, é mau sinal. Aclara que não se olhará a meios para atingir os fins. E essa aclaração, bem que a dispensávamos”, remata.

Mas será que Passos Coelho corre mesmo o risco de ser dispensado? É muito provável se não avançar, quando antes, para uma revisão profunda da Constituição, defende o subdiretor do “Jornal de Notícias”.

“Em vez de cometerem o erro clássico de confundir a mensagem com o mensageiro e caírem na tentação de mandar bardamerda o Tribunal Constitucional, PSD e CDS têm de compreender que os vetos sucessivos são apenas fumaça que esconde o real problema: a Constituição de 76 precisa de emenda urgente, quem sabe se até mesmo de uma emenda total”, escreve Jorge Fiel.

“O nosso futuro precisa que PS, PSD e CDS se sentem rapidamente à mesa e comecem a preparar uma profunda Revisão da Constitucional. Se não o fizerem, correm o sério risco de que o povo, que é sereno mas não gosta de ser sequestrado, se chateie e nas próximas legislativas faça massivamente greve ao voto nos partidos do arco da governação”, antecipa o subdiretor do “JN”.

Para evitar tais danos, deveria ter sido essa a estratégia seguida pelo chefe do Executivo, defende o “Diário Económico” em editorial.

“Além da pressão pública, a intenção do primeiro-ministro é culpar o Constitucional por novas medidas de austeridade. Porém, desde o início que Pedro Passos Coelho usou a estratégia errada.

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/o-que-tem-estes-homens-em-comum=f874368#ixzz33sn5Epyn

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/o-que-tem-estes-homens-em-comum=f874368#ixzz33sm3iDtd

Entidades portuguesas dão luz verde para Scotland Yard interrogar 8 “pessoas importantes”

Os detectives da Scotland Yard receberam luz verde das autoridades judiciais portuguesas para interrogar oito «pessoas de interesse» no âmbito do caso do desaparecimento de Maddie McCann, em Maio de 2007, na Praia da Luz, no Algarve.

Os agentes destacados para a «Operation Grange» identificaram mais cedo este ano oito pessoas que poderão contribuir para resolver o caso do desaparecimento da criança.

Madeleine McCann desapareceu do quarto dos seus pais no Ocean Club, na Praia da Luz, a 3 de Maio de 2007. Na altura, Maddie tinha quase quatro anos de idade.

O lote de «pessoas de interesse» inclui três ladrões que vivem perto do descampado na Praia da Luz, actualmente a ser vasculhado pelas equipas britânicas.

O jornal Mirror avança que nenhum interrogatório terá lugar até que estejam concluídas as actuais buscas.

Os detectives da polícia metropolitana acreditam que Maddie terá sido levada por um «gangue» que acordou a criança sem querer e entrou em pânico, durante um possível assalto ao apartamento onde a família estava hospedada.

maddie
Análises ao histórico telefónico mostram que estas pessoas realizaram um número invulgar de chamadas entre si nas horas que sucederam ao desaparecimento.

Também se sabe, explica a publicação, que três das outras cinco «pessoas de interesse» trabalharam no Ocean Club na Praia da Luz.

As notícias chegam depois de as autoridades terem confirmado que estão a realizar testes de ADN a pedaços de roupa encontrados durante as buscas.

Os cães pisteiros britânicos que ajudaram nas buscas da jovem April Jones foram vistos novamente esta sexta-feira a vasculhar o descampado perto do popular aldeamento turístico. Os detectives também continuaram a fazer buscas no sistema de esgotos, a cerca de 300 metros do Ocean Club.

As autoridades terão procurado objectos que podem ter sido abandonados no local pouco depois do desaparecimento de Maddie.
Fonte: Diário Digital

O Dia D: O resgate do soldado Hollande

Em franca perda de popularidade, François Hollande tenta aproveitar as comemorações do 70.º aniversário do desembarque aliado na Normandia para recuperar algum do seu estatuto presidencial. A ocasião é das melhores já que em França estão 19 chefes de Estado e de Governo, incluindo alguns antigos aliados agora desavindos. A crise da Ucrânia e a guerra da Síria opõem a Rússia aos EUA e à União Europeia.

Os esforços diplomáticos do Presidente fraqncês obrigaram-no a jantar duas vezes na quinta-feira: a primeira com o Presidente Obama, num restaurante, e duas horas mais tarde com o homólogo russo Vladimir Putin, no Eliseu.

O esforço de Hollande para relançar o diálogo entre os Presidentes russo e norte-americano deu até agora poucos frutos. Ainda assim, Obama e Putin reuniram-se brevemente, quando chegou a ser avançado que nem se iriam cumprimentar. Putin encontrou-se ainda com a chanceler alemã Angela Merkel e com primeiro-ministro britânico. David Cameron, segundo a imprensa britânica, está a fazer de “ama” de Putin durante a sua estada em França.
Durante o almoço, o Presidente russo também se encontrou durante um quarto de hora com Petro Porochenko, o novo chefe de Estado da Ucrânia.

Hollande tem já um triunfo diplomático a registar. Não só convidou a rainha Isabel II para as comemorações, como a recebe esta sexta-feira num jantar oficial no Eliseu, ao contrário do que o seu antecessor Nicolas Sarkozy tinha feito nas comemorações do 65.º aniversário do Dia D.

China louva Alemanha e critica Japão

“O sincero remorso alemão ganhou a confiança do mundo.” Foi com estas palavras que o porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros começou por responder em Pequim a uma pergunta sobre as comemorações do dia D. “Mas na Ásia, os líderes do Japão, que provocou e perdeu a guerra, continuam a negar o seu papel na invasão da China.”

Para Pequim, o que os governantes japoneses têm feito é amplamente condenado pela comunidade internacional. “Instamos mais uma vez que o Japão encare e reflita sobre a história da invasão e dê os passos necessários para corrigir os erros e recupere a confiança dos seus vizinhos asiáticos e da comunidade internacional.”

As relações entre os dois países deterioraram-se no final de 2013, depois de o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe ter visitado o santuário Yasukuni Shrine Yasu, que Pequim considera um símbolo do militarismo japonês por honrar criminosos de guerra.

O relacionamento entre os dois países deteriorou-se também devido ao conflito pela posse das ilhas SenkaKu, ricas em petróleo e gás natural

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/o-resgate-do-soldado-hollande=f874371#ixzz33seSs5oZ

Fonte: Damien Mayer
Getty imagesolande

AMOROSAMENTE
Célia Laborne Tavares

* Por que dizer poemas quando a natureza se abre em poesia? Por que o desejo de criar quando a beleza se constrói, por si, à nossa volta? Onde a vibração é de luz a criação transcende o humano construir.
É tempo de arar o terreno, de preparar estruturas sólidas e permanentes para que a vida se instale definitivamente junto a nós, sem limites, sem véus e sem carências.
– Por que procurar o canto quando o silêncio começa a dar lições gratuitas de paz e harmonia, numa sintética transformação da sinfonia universal?
As sementes estão sendo plantadas para que, na hora da realização, haja flores abundantes para as oferendas. As palavras e atitudes jovens podem nos parecer novas, mas todos já sentimos que é amplo o desejo de comunhão. Todos os seres se igualam junto à luz. Os símbolos se acomodam em nossas mentes e fazem o primeiro trabalho para despertar-nos, para convidar-nos.
** A cada dia, os passos são mais apressados. Na aridez do caminho as plantas novas fazem a primeira sombra refrescante e, entre a aresta da pedra brota o primeiro filete de água cristalina, mitigando a sede.
E, porque tudo se faz novo sobre a Terra, difícil é descrever os cenários sem usar o simbolismo que nos leva às primeiras revelações. Mesmo em nossas míseras lutas cotidianas nada há, sobre a Terra, que não possa ser iluminado ou purificado pelo sol.
E, os que conhecem os iluminados caminhos da libertação são pródigos em nos estender as mãos num gesto de ajuda, a deixar marcos na estrada para que não nos percamos nas horas da noite.
*** As lutas e choques, deste tempo, são um prenúncio das possibilidades de abertura para uma era nova que pode chegar a qualquer hora, no interior de cada um.
O amor é o princípio da sabedoria, a fonte da paz, o germe da independência. Suas vivências se transformam em alimento natural da elevação humana. Amorosamente, a Terra produz suas riquezas e se cobre de plantas e flores, amorosamente as águas regam a Terra e espelham o céu. Na cadeia do amor ligam-se os homens e seu crescimento interior. Nosso encontro íntimo será, sempre, decorrência das vivências mais intensas do amor.
Cada palavra que o silêncio nos ensina tem a semente da criação e pode fazer-se sem limites quando irrigada pela seiva dos desdobramentos do amor.
**** Muitas vezes as perguntas se sucedem e as palavras parecem difíceis para quem apenas começa, mas, à medida que o sol se levanta, sua claridade mais violenta atingirá a tudo e a todos, sem necessidade de metáforas ou comparações insatisfatórias.
vivas10

Rainha Sofía elogia Letizia

A agenda oficial da família real espanhola não sofreu alterações depois do rei Juan Carlos anunciar que abdicava do trono. A rainha Sofía viajou ontem, dia 3, para Nova Iorque onde participa numa série de iniciativas ligadas às Nações Unidas e onde será distinguida hoje com a medalha Path to Peace (Caminho para a Paz) pelo trabalho que tem vindo a desenvolver em prol dos mais necessitados.

Depois da reunião de ontem com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, a rainha falou pela primeira vez sobre o facto de o marido ter decidido por fim ao seu reinado, deixando o seu lugar à disposição do filho, o príncipe Felipe. “Não há qualquer problema na mudança. Tudo vai continuar a ser igual”, afirmou, acrescentando que o processo de transição garante “a continuidade com o [seu] filho, que já está por dentro de todos os assuntos”. Quanto a recomendações para a sua sucessora, a princesa Letizia, Sofía não se alongou mas aproveitou para elogiar a nora, com quem tantas vezes se disse que tinha uma relação difícil. “Que continue como tem feito até agora. Ela é competente e encantadora e eu gosto muito dela”, disse a soberana, encerrando o tema da abdicação.

O príncipe Felipe de Espanha será proclamado rei no dia 18 de junho.

Ler mais: http://caras.sapo.pt/realeza/espanha/2014/06/04/rainha-sofia-elogia-letizia#ixzz33rqVj4O3
fleit