Cavaco não desiste…

Cavaco Silva convocou o Conselho de Estado para a próxima quinta-feira, 3 de julho, às 17.30h.

Da agenda faz parte “a situação económica, social e política, face à conclusão do Programa de Ajustamento e ao Acordo de Parceria 2014-2020 entre Portugal e a União Europeia para os Fundos Estruturais”.

É possível que a convocação do Conselho de Estado tenha a ver com os insistentes apelos do Presidente a um compromisso partidário e sobre o qual disse não estar disposto a “resignar-se”.

“Já uma vez escrevi e afirmei que é difícil mudar as atitudes dos partidos. Há uma história atrás de cada um deles, parecem existirem interesses particulares que se sobrepõem aos interesses nacionais. E por isso nós devemos não aceitar esta situação, eu não vou resignar-me”, afirmou Cavaco Silva aos jornalistas, no Porto, há uma semana.

Nessa altura, o Presidente da República voltou a insistir na necessidade do entendimento partidário, considerando que ele era “fundamental para o futuro dos portugueses”. Na sua intervenção no 10 de junho, já “convocara” os partidos para um compromisso, o mais tardar até ao próximo orçamento de Estado.

Falando à margem de uma cerimónia de inauguração de um edifício do parque da Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto a 20 de junho, e a propósito da tentativa de acordo que promoveu no ano passado e que se frustrou “à última hora e de forma inexplicável”, conforme disse, Cavaco sublinhou que se ele tivesse ido para a frente “o país estaria diferente e melhor”.

“Temos que continuar a trabalhar para que as tais idiossincrasias partidárias sejam rogadas para segundo plano e as atitudes sejam semelhantes aquelas que acontecem nos outros países da União Europeia”, disse na altura.

O chefe de Estado defendeu ser importante contribuir “para reduzir o nível de crispação, de tensão político-partidária e de agressividade de linguagem entre as diferentes forças políticas, porque nesse caso, agora e no futuro, será difícil entendimento”.

Questionado no Porto se o ‘timing’ para os partidos chegarem a entendimento não se estaria a esgotar, Cavaco Silva respondeu que “o prazo esgota-se quando nós nos aproximarmos dos atos eleitorais”.

Nesse sentido, lembrou que para o ano haverá dois escrutínios – as eleições legislativas e as regionais da Madeira (outubro) – e uma terceira campanha eleitoral, para as presidenciais, que terão lugar em janeiro de 2015.

Cavaco alertou ainda para a “confusão” que se poderá criar se “existir interpenetração entre as campanhas eleitorais que visam escolher representantes para órgãos tão distintos”.

Na sua opinião, o país não pode parar durante quatro meses.

Curiosamente, o Conselho de Estado realiza-se uma semana antes da data prevista de aprovação pelo Governo do diploma dos cortes e da tabela remuneratória única da função pública.

O Governo espera que o Presidente envie estes textos para fiscalização preventiva do Tribunal Constitucional, de modo a ter uma resposta deste órgão jurisdicional antes do orçamento de Estado.

Da última vez que Cavaco Silva convocou o Conselho de Esatdo foi em Maio do ano passado, para abordar a situação no “pós-troika”.

Os membros do Conselho de Estado são a Presidente da Assembleia da República e o Primeiro-Ministro, o Presidente do Tribunal Constitucional e o Provedor de Justiça, os presidentes dos governos regionais dos Açores e da Madeira, os ex-presidentes Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio, João Lobo Antunes, Marcelo Rebelo de Sousa, Leonor Beleza, Vítor Bento, Bagão Félix e Pinto Balsemão, os socialistas António José Seguro e Manuel Alegre, e os sociais-democratas Marques Mendes e Luís Filipe Menezes.

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/cavaco-convoca-conselho-de-estado-para-3-de-julho=f877894#ixzz35lRjUrKJ
cavaco-c50c

foto de: Estela Silva/Lusa

Autor: sinfoniaesol

A vida deve ser vivida intensamente. Sempre foi esse o meu lema.

1 thought on “Cavaco não desiste…”

  1. Olá, Irene!

    Cavaco faz o papel dele, ainda que nele não acredite, já que a política vive em grande parte de farsa e encenação.E depois, tem que mostrar à opinião publica estar vivo e preocupado com os destinos do país…como forma de proteger a imagem que já não é nada boa.

    Dito isto, seria bom que os maiores partidos se entendessem quanto ao essencial.

    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Vitotr

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s