Em 1964, estreava o filme My Fair Lady, uma produção cinematográfica inesquecível, que entrou para a história do cinema.
A trama do filme era baseada no romance Pigmalião de George Bernard Shaw, que foi adaptado para o teatro e apresentado pela primeira vez na Irlanda em 1912.

O Pigmalião da mitologia antiga apaixona-se pela estátua que ele próprio esculpiu. A peça Pigmaleão, de Bernard Shaw, conta a história de Eliza Doolitle, uma vendedora de flores ambulante na Londres do início do século 20. Sua linguagem é uma afronta à língua inglesa, seu vocabulário, paupérrimo e de baixo calão, e sua pronúncia, uma desgraça. Um eminente fonético, o professor Higgins impõe a si mesmo um desafio: reeduca-la e faze-la passar por uma dama da sociedade. Mas esse será apenas o início dessa comédia deliciosa em que Shaw denuncia as diferenças sociais e de classe
Fonte: Design Innova53d9c430dcd5888e1459b061_my-fair-lady-audrey-hepburn-eliza-doolittlefilme

Autor: sinfoniaesol

A vida deve ser vivida intensamente. Sempre foi esse o meu lema.

4 thoughts on “”

  1. Olá, Irene!

    Um bela história, um belíssimo filme, e também uma interessante e divertida aula de Inglês, dada por um grande mestre que sabia da poda…
    Obrigado pela recordação.

    Uma boa semana; beijinhos
    Vitor

  2. Hace ya muchos años que vi la película, de hecho, la había visto ya en alguna otra ocasión, siempre me gustó y sigue gustándome muchísimo porque es amena y divertida.

    Feliz semana

    Besitos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s