ROSA MARIA(madrinha deste blogue) e SANDRA GONÇALVES duas grandes amigas que fazem o favor de me ceder a sua poesia.À Sandra que está a passar um péssimo momento na sua vida pessoal:FORÇA!!!

Visto-me de Violetas…
Visto-me de violetas e enfeito-me de solidão…perfumo-me de rosas negras e deponho meu corpo na terra fria…entre o infinito e a eternidade caminhando entre nuvens brancas do silêncio…numa ânsia eterna a morrer no meu olhar de brumas…na vida que ficou para trás…na chama que se apagou…no abandono do eu…perdida no desengano e envolta pela noite…caminho sem mim.
Os sonhos perdi-os entre as pedras do esquecimento…o amor deixei-o do lado de lá da vida…não o encontro…saio agora pelo outro lado do silêncio e perco-me no esquecimento do tempo…deixo o meu corpo e volto ao pó e entrego-me ao nada…cinzas apenas a escorrer no silêncio de um instante…num grito preso na imensidão…num olhar perdido num canto silencioso de espera…onde não me tenho…não sou.
Vestida de noite danço uma valsa fúnebre…dolente…envolta nos véus de penumbra…danço despida de mim entre os lábios e a pele…num lugar breve e sem volta onde guardei as memórias de um outro eu que se perdeu de mim…numa serenidade estranha que me leva para um outro tempo…uma outra vida.
Numa ânsia de infinito…numa procura de eternidade deixo escorrer uma lágrima e afasto uma sombra que caminha comigo numa manhã sem destino…numa noite sem chegada…num céu sem estrelas…no ocaso do meu olhar…no frio que se desprende das minhas mãos vazias…no grito onde se escondem todos os silêncios e todos os desenganos e onde numa breve fuga ao ocaso escurecem os dias por entre a sombra e a penumbra…onde a dor é um afago no eco de todos os gritos…o lamento de todos os murmúrios e a sombra da minha sombra a minha eterna companhia.
Entre a terra e o céu há tantas pedras nuas que me ferem a alma…tantos lugares vazios…tantas noites que crescem dentro de mim amordaçando o meu corpo…aprisionadas nos meus braços cansados e escorrendo das minhas mãos como asas silenciosas inundando todos os recantos gelados da minha alma onde ficaram as palavras numa lágrima escrita em silêncio.
No fundo da noite fantasmas flutuam na minha memória…acordando o sono no regaço da escuridão…como asas na noite vão transformando em cinzas os sonhos agonizantes onde ardiam desejos pousados na sombra negra do amor…no abismo da terra fria onde adormeço envolta no silêncio do tempo e descanso enfim no anoitecer da terra.
Escrito por : Rosa Maria
Visto-me de Violetas…

Visto-me de violetas e enfeito-me de solidão…perfumo-me de rosas negras e deponho meu corpo na terra fria…entre o infinito e a eternidade caminhando entre nuvens brancas do silêncio…numa ânsia eterna a morrer no meu olhar de brumas…na vida que ficou para trás…na chama que se apagou…no abandono do eu…perdida no desengano e envolta pela noite…caminho sem mim.
Os sonhos perdi-os entre as pedras do esquecimento…o amor deixei-o do lado de lá da vida…não o encontro…saio agora pelo outro lado do silêncio e perco-me no esquecimento do tempo…deixo o meu corpo e volto ao pó e entrego-me ao nada…cinzas apenas a escorrer no silêncio de um instante…num grito preso na imensidão…num olhar perdido num canto silencioso de espera…onde não me tenho…não sou.
Vestida de noite danço uma valsa fúnebre…dolente…envolta nos véus de penumbra…danço despida de mim entre os lábios e a pele…num lugar breve e sem volta onde guardei as memórias de um outro eu que se perdeu de mim…numa serenidade estranha que me leva para um outro tempo…uma outra vida.
Numa ânsia de infinito…numa procura de eternidade deixo escorrer uma lágrima e afasto uma sombra que caminha comigo numa manhã sem destino…numa noite sem chegada…num céu sem estrelas…no ocaso do meu olhar…no frio que se desprende das minhas mãos vazias…no grito onde se escondem todos os silêncios e todos os desenganos e onde numa breve fuga ao ocaso escurecem os dias por entre a sombra e a penumbra…onde a dor é um afago no eco de todos os gritos…o lamento de todos os murmúrios e a sombra da minha sombra a minha eterna companhia.
Entre a terra e o céu há tantas pedras nuas que me ferem a alma…tantos lugares vazios…tantas noites que crescem dentro de mim amordaçando o meu corpo…aprisionadas nos meus braços cansados e escorrendo das minhas mãos como asas silenciosas inundando todos os recantos gelados da minha alma onde ficaram as palavras numa lágrima escrita em silêncio.
No fundo da noite fantasmas flutuam na minha memória…acordando o sono no regaço da escuridão…como asas na noite vão transformando em cinzas os sonhos agonizantes onde ardiam desejos pousados na sombra negra do amor…no abismo da terra fria onde adormeço envolta no silêncio do tempo e descanso enfim no anoitecer da terra.

Escrito por : Rosa Maria

Chora menina sonhadora
De tudo que veio e que fora
Desabrocha em muitas flores
E cante ao mundo suas dores

Grita menina mulher
Faça da vida somente o que quer
Deixe os cabelos em desalinho
E se aconchegue em qualquer ninho

Dança menina bailarina
Aproveite o que a vida ensina
Cada passo tem um compasso
Deixa de amarrar a dor com laço

E se um dia ao acordar
E de todas as flores desabrochar
Vai se lembrar que de todo amor
Não colhestes somente dor

Foge menina prisioneira
Vem ver a vida do lado de fora
Do outro lado da grade
Está te esperando a felicidade

Grita, sonha ,canta e dança
Navegue até onde a vista alcança
Do mar imenso veja o fundo
Se jogue a todos os mundos

Conte ao mundo sua verdade
Deixe esse torpor de insanidade
Seja insana felicidade
Sonhando seja serenidade…

E quando acordares um dia
E estiveres nos braços do amor
Verás o quão importante foi
Não teres sucumbido a tua dor.

Sandra Gonçalves

Autor: sinfoniaesol

A vida deve ser vivida intensamente. Sempre foi esse o meu lema.

1 thought on “ROSA MARIA(madrinha deste blogue) e SANDRA GONÇALVES duas grandes amigas que fazem o favor de me ceder a sua poesia.À Sandra que está a passar um péssimo momento na sua vida pessoal:FORÇA!!!”

  1. Quando tenho a ventura de poder lançar meus olhos em maravilhas como estas, posso sentir a minha pequenez e ser feliz assim, como sou, louvando o Senhor por tantas graças que chegam até mim pelas partilhas maravilhosas de amigas como vós!
    Um Feliz Natal e Próspero Ano Novo!
    Beijinhos fofos,
    Hermínia nadais

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s