As mulheres – nº. 2

1907

1907 – primeira mulher a efectuar tatuagens EU.1944Uma mulher filipina mostra a um soldado americano, algo de um soldado

japonês na ocupação das Filipas – 1944.annaAnna Fisher, a 1ª. mulher a participar numa missão da Nasa.

Morreu na explosão na descolagem em 1980.cruzvermelhaUma enfermeira da Cruz Vermelha tratando um soldado inglês na

1ª. grande guerra mundial em 1917

As mulheres ao longo da História sempre foram fortes, aventureiras, solidárias, guerreiras,etc.

1918 - mulher políciaa 1ª. mulher polícia – Leona N. King. América 19181918Em 19181926

Gertrude Ederle, em 1926.A 1ª. mulher a atravessar o Canal da Mancha.toronto em 1937

 

Toronto em 1937simone

Simone Segouin – Paris – 1944

Fonte: Económico online

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, acaba de aprovar o diploma do Governo que permite desblindar os estatutos do BPI. Tal como o Económico anunciou em primeira mão, o Governo aprovou na passada quinta-feira a proposta de alteração legislativa que suspende as blindagens de estatutos das sociedades em determinadas circunstâncias. Esta alteração poderá permitir resolver o impasse accionista no BPI, fazendo com que o banco possa cumprir a exigência do BCE de redução da exposição a Angola contra a vontade da sua accionista Isabel dos Santos.

No comunicado divulgado há poucos minutos na página oficial da Presidência da República pode ler-se que “atendendo à razão de ser do diploma, em particular o reforço da solidez do sistema financeiro, ao facto de corresponder a solução defendida pelas duas entidades reguladoras, a ter mediado entre a última pronúncia destas e a concretização da presente iniciativa legislativa tempo suficiente para não interferir em eventual operação em curso, e à circunstancia de só entrar em vigor em 1 de Julho e a deliberação das assembleias gerais poder ocorrer até 31 de Dezembro, o Presidente da República, tendo presente o interesse nacional, acabou de promulgar o Decreto-lei que procede à 41ª alteração do Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras”.

O objectivo prossegue o comunicado é “conferir aos accionistas de instituições de crédito a possibilidade de reavaliarem periodicamente a justificação dos limites estatutários em matéria de detenção e exercício dos direitos de voto”.

Apesar de fonte governamental ter garantido durante o fim de semana que “a legislação já estava em preparação e foi aprovada na semana passada. Não está relacionada com o resultado da negociação [no BPI, entre CaixaBank e Isabel dos Santos]. O certo é que esta nova legislação permite resolver os problemas do BPI, podendo este avançar com o “spin-off” dos seus activos africanos e assim cumprir a exigência do Banco Central Europeu de redução da exposição ao risco de Angola, após o falhanço das negociações entre Isabel dos Santos e o CaixaBank.

A promulgação por parte de Marcelo Rebelo de Sousa acontece precisamente no dia em que foi conhecida a OPA do CaixaBank sobre o BPI a 1,113 euros por acção, operação que o banco catalão faz depender da desblindagem dos estatutos do BPI.

O CaixaBank detém 44,1% do BPI e devido à blindagem de estatutos do banco só podia votar com 20%. Já Isabel dos Santos que detém 18,6% do BPI conseguia bloquear todas as decisões estratégias do banco.

A nova lei terá consequências para o conjunto do mercado de capitais portugueses, fazendo com que outra cotadas com blindagens nos estatutos – como o BCP – passem a estar mais vulneráveis a uma OPA.

card_marcelo_rebelo_sousa_230316_pac_01