Renascença no Ar(Fonte)

O ex-Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, afirmou hoje que saiu “de consciência bem tranquila” de Belém e referiu que muita coisa não se sabe sobre a forma como exerceu funções, mas não quis agora “fazer revelações”.

Cavaco Silva falava durante um almoço de homenagem, num hotel de Lisboa, que juntou dezenas de pessoas que fizeram parte das suas equipas como presidente do PSD, primeiro-ministro e Presidente da República, às quais agradeceu, considerando-se “um privilegiado e um homem de sorte” pelas funções públicas que exerceu.

“Muita coisa se sabe sobre a forma como exercia as minhas funções de Presidente da República. Mas também há muita coisa que não se sabe, porque tomei a decisão de manter muita coisa reservada na convicção de que essa era a melhor forma de defender o superior interesse nacional”, declarou.

No entanto, o ex-chefe de Estado não quis revelar informação nova nesta ocasião: “Este não é o tempo, como é óbvio, de fazer revelações. É o tempo para eu agradecer àqueles que estiveram ao meu lado nas mais variadas situações e me ajudaram a percorrer este caminho político”.

Num discurso de cerca de 15 minutos, Cavaco Silva apontou um momento como decisivo para a entrada na sua vida política: “Se Sá Carneiro não me tivesse ido buscar à universidade e ao Gabinete de Estudos do Banco de Portugal, eu não teria tido carreira política, teria tido carreira académica, algo que também muito me satisfaz”.

O ex-Presidente da República admitiu que é um “homem de sorte” na política, mas também reconheceu que a sorte dá muito trabalho.

No final da sua intervenção, nomeou várias pessoas que trabalharam consigo e destacou o papel da sua mulher, Maria, e da sua família. “Eu não vos disse qual foi o privilégio maior que tive ao longo de toda a minha profissional e política, sem o qual eu não teria chegado onde cheguei: o privilégio de ter tido sempre ao meu lado a mulher com quem casei e toda a minha família”, disse.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, marcou presença no almoço com Cavaco Silva e vai estar mais tarde numa homenagem a Mário Soares.

O chefe de Estado considera que os seus antecessores “continuam na memória colectiva e ambos merecem ser homenageados”.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, “é uma boa coincidência” que os dois antigos presidentes e primeiros-ministros tenham homenagens realizadas esta sábado.

O ex-Presidente da República, Cavaco Silva (E) conversa com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D)  um pouco antes do almoço de homenagem a Cavaco Silva organizado por várias personalidades da politica nacional, num hotel de Lisboa, 23 de julho de 2016. NUNO FOX/LUSA
O ex-Presidente da República, Cavaco Silva (E) conversa com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D) um pouco antes do almoço de homenagem a Cavaco Silva organizado por várias personalidades da politica nacional, num hotel de Lisboa, 23 de julho de 2016. NUNO FOX/LUSA

Autor: sinfoniaesol

A vida deve ser vivida intensamente. Sempre foi esse o meu lema.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s