Fonte: Sapo Mag

O festival de cinema de Locarno terminou este sábado, na Suíça, com o anúncio dos vencedores da 69.ª edição.

O filme “Godless”, da búlgara Ralitza Petrova, ganhou o Leão de Ouro e o Prémio Especial do Júri foi entregue a “Inimi Cicatrizate”, do romeno Radu Jude.

Antes de ganhar o prémio de Melhor Realizador este ano, João Pedro Rodrigues já tinha sido distinguido em Locarno, em 2012, com uma menção especial do júri, pela longa-metragem “A última vez que vi Macau”, uma obra assinada com João Rui Guerra da Mata.

“O ornitólogo” é uma ficção sobre um investigador cuja vida se altera completamente, durante um trabalho de campo numa floresta.

Entre os seis filmes portugueses à competição no festival estava ainda a longa-metragem “Correspondências”, de Rita Azevedo Gomes, também a competir pelo prémio máximo, o Leopardo de Ouro.

A competição de curtas-metragens contou com a animação “Estilhaços”, de José Miguel Ribeiro, “Setembro”, de Leonor Noivo, “À noite fazem-se amigos”, de Rita Barbosa, e “Um campo de aviação”, filme experimental de Joana Pimenta.

A presença portuguesa em Locarno teve ainda quatro outros filmes, exibidos fora de competição: “Longe”, de José Oliveira, “A brief history of princess X”, de Gabriel Abrantes, “O corcunda”, que este realizador rodou com Ben Rivers, e “O cinema de Manoel de Oliveira e eu”, de João Botelho.

Na corrida ao Leopardo de Ouro estava também a coprodução “Jeunesse”, do realizador francês Julien Samani, com participação portuguesa, tendo sido rodado em Portugal, com técnicos e atores portugueses.

Da programação de Locarno, fizeram ainda parte “Comboio de sal e açúcar”, do realizador e escritor brasileiro, residente em Moçambique desde 1975, Licínio de Azevedo, numa coprodução com Portugal, e “Rio Corgo”, uma produção luso-suíça, de Maya Kosa e Sérgio da Costa.

Em 2014, Locarno distinguiu o filme de Pedro Costa “Cavalo Dinheiro”, com o prémio de melhor realização e uma menção especial da Federação Internacional de Cineclubes, enquanto no ano anterior, 2013, o realizador português Joaquim Pinto conquistou o prémio especial do júri, o prémio da crítica e o prémio do júri jovem do festival, com o documentário “E agora? Lembra-me”.

Gabriel Abrantes (“Liberdade”, “A History of Mutual Respect”) e Gonçalo Tocha (“É na Terra não É na Lua”) são outros realizadores portugueses distinguidos em anos recentes, no Festival de Locarno.

Lista de vencedores:

Competição Internacional:

Leopardo de Ouro – “Godless” (Bulgária, Dinamarca, França), de Ralitza Petrova
Prémio Especial do Júri – “Inimi Cicatrizate/Scared Hearts” (Romérnia, Alemanha), de Radu Jude
Melhor Realização – João Pedro Rodrigues por “O Ornitólogo” (Portugal, França, Brasil)
Melhor Atriz – Irena Ivanova por “Godless” (Bulgária, Dinamarca, França), de Ralitza Petrova
Melhor Ator – Andrzej Seweryn por “Ostatnia Rodnizina/The Last Family” (Polónia), de Jan P. Matuszynski
Menção Especial – “Mister Unvierso” de Tizza Covi, Rainer Frimmel (Áustria, Itália)

Cineasti del Presente:

Leopardo de Ouro – “O Auge do Humano” (Argentina, Brasil, Portugal), de Eduardo Williams
Prémio Especial do Júri – “The Challenge” (Itália, França, Suíça), de Yuri Ancarani
Melhor Realizador Emergente – Mariko Tetsuya por “Destruction Babies” (Japão)
Menção Especial – “Viejo Calavera” (Bolívia, Quatar), de Kiro Russo
Melhor Primeiro Filme – “El Futuro Perfecto” (Argentina), de Nele WohlatEYGNQBIP 

Autor: sinfoniaesol

A vida deve ser vivida intensamente. Sempre foi esse o meu lema.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s