Vida e Morte…

ujO Vaticano divulgou hoje (25) regras para a cremação de católicos, que incluem a proibição à conservação das cinzas do morto em casa, evitando que elas se tornem “lembranças comemorativas”.

As normas estão presentes em uma instrução da Congregação para a Doutrina da Fé aprovada pelo papa Francisco. De acordo com o documento, se for escolhida a cremação, as “cinzas do defunto devem ser mantidas em um lugar sacro, ou seja, nos cemitérios, e a conservação das cinzas no ambiente doméstico não é permitida”.

O Vaticano abre exceção apenas para casos envolvendo circunstâncias graves e excepcionais, dependendo das condições culturais de caráter local. “No entanto, as cinzas não podem ser divididas entre os membros da família e devem ser respeitadas as condições adequadas de conservação”, acrescenta a instrução.

Além disso, a Igreja Católica proíbe que o resultado da cremação seja transformado em “lembranças comemorativas” e “objetos de joalheria”, indo contra a prática de colocar as cinzas em adereços como colares, para recordar o ente querido.

Outro hábito comum, o de espalhar as cinzas no mar ou em qualquer outro tipo de ambiente, também foi vetado pela Congregação para a Doutrina da Fé. “Para evitar qualquer tipo de equívoco panteísta, naturalista ou niilista, não é permitida a dispersão das cinzas no ar, na terra, na água ou de outro modo”, afirma o documento.

Caso o morto tenha expressado em vida o desejo de ser cremado por razões contrárias à fé cristã, a Igreja deve negar a realização de seu funeral. “A Igreja não pode permitir abordagens e ritos que envolvam concepções erradas da morte, como a anulação definitiva da pessoa, o momento de sua fusão com a mãe natureza ou com o universo, uma etapa no processo de reencarnação ou a libertação definitiva da prisão do corpo”, indica a instrução aprovada pelo papa.

Embora diga que a cremação de um cadáver não é por si só a negação da fé cristã, o documento ressalta que a preferência continua sendo pelo sepultamento dos corpos. As regras são uma forma encontrada pelo Vaticano de regulamentar uma prática difundida em muitos países, mas que em alguns casos está baseada em ideias que contrariam a doutrina católica.

A cremação é permitida pela Santa Sé desde 1963, desde que não seja um ato de contestação da fé. “A Igreja não tem razões doutrinárias para impedir tal praxe, já que a cremação do cadáver não atinge a alma e não impede a onipotência divina de ressuscitar o corpo. Mas a Igreja continua preferindo o sepultamento porque assim se mostra uma estima maior em relação aos mortos”, acrescenta o documento.
fonte: agenciabrasil.ebe.com.br
…………………………………………………………………….

Sinceramente, eu com 70 anos de idade, já penso muito
mais na morte do que há umas dezenas de anos atrás,
e sinceramente ainda não consegui decidir se quero
ser cremada ou não, o que o meu marido já decidiu:
não quer ser cremado.
Mas não entendo, porque o Vaticano tenha que tomar
esta decisão, e muito menos que haja razões para
não haver acompanhamento religioso….
Sei que há alguns crematórios que têm um pequeno
jardim, onde as cinzas são depositadas durante
1 ano, com uma simples placa com o nome, se eu
decidir pela cremação, talvez gostasse que fizessem
isso, nunca que as m/cinzas viessem para casa.
Marques Irene

.

.

.

Autor: sinfoniaesol

A vida deve ser vivida intensamente. Sempre foi esse o meu lema.

1 thought on “Vida e Morte…”

  1. Eu não tenho preferência e já avisei aqui em casa que fizessem da maneira que para eles fosse menos doloroso. Também não entendo por que a religião católica que é a minha tem que interferir nessas coisas. Afinal não é só a alma que importa? O corpo não se desfaz? Afinal, o corpo ressuscita ou isso é só simbologia? E se as cinzas forem lançadas ao mar? Acho até bonito. E se alguém as quiser guardar em casa ? Acho que em nenhum caso significa falta de respeito pela pessoa ou pela fé; uma coisa que me choca é o ” aparato” nos cemitérios no dia de hoje. Deixei de lá ir neste dia dos fiéis defuntos, porque vejo tanto luxo com as flores em tumulos de pessoas que não tiveram carinho enquanto vivas; a maioria das pessoas vai lá para ver quem tem o tumulo mais enfeitado e para encontrarem pessoas que já há muito não encontram; durante o ano, muitas campas estão sujas e abandonadas, mas neste dia, ficam cobertas com flores carissimas. Será isto prova de fé, respeito pelos mortos.? Penso que aqui a igeja não deve interferir e nao deve impedir que o funeral seja feito segundo a fé católica. Sempre aprendi que o corpo vira pó e só a alma sobe aos céus. Deixar que as pessoas decidam como querem partir acho que seria o correcto. Não acredito que Jesus se importaria com estes pormenores; são leis dos homens como tantas outras na nossa e nas outras religiões. Irene, um tema pertinente, amiga e, como disse, para mim tanto faz e se decidirem a cremação e as cinzas em casa, o problema é de quem ficar com elas. Estou morta e pt, não sei de nada; estarei bem em qualquer lado. Beijinhos e pensemos agora na vida que é o que importa
    Emilia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s