Fonte: Sapo 24

“Portugal é um país com milhares de anos na descoberta do empreendedorismo. Com a fixação de universidades no século XVIII, a globalização e o estabelecimento de redes de negócios pelo mundo fora, temos uma identidade cultural única de abertura para o mundo”, é a mensagem que, segundo o secretário de Estado da Indústria, Portugal quer fazer passar aos participantes na Web Summit.

No âmbito da conferência global de tecnologia Web Summit, Portugal quer dar-se a conhecer como um país para instalar empresas tecnológicas, ‘startups’ e investidores.

Como atrativos, João Vasconcelos anunciou existirem 400 milhões de euros de fundos disponíveis, benefícios fiscais para os primeiros investidores e infraestruturas de banda larga, para acesso à internet, espalhadas pelo país e pelas universidades.

O governante chegou à Ericeira na caravana Web Summit acompanhado pelo seu CEO, que espera que os participantes “se divirtam” no Surf Summit, que decorre este fim de semana, antes da abertura oficial do evento.

Em relação à Web Summit, Paddy Cosgrave disse que o evento mundial vai “contribuir para melhorar o país”. Por um lado, os participantes vão deixar receitas “nos hotéis, restaurantes ou táxis”. Por outro lado, Portugal está a ser falado pela imprensa internacional, o que suscita interesse para “virem querer conhecer Portugal”.

Além disso, “inspira as novas gerações a serem empreendedores”.

A Ericeira, única reserva mundial de surf da Europa e o local onde se concentra a maior variedade de ondas, foi escolhida para o Surf Summit, que inaugura o Web Summit, evento tecnológico que decorre entre segunda e quinta-feira em Lisboa.

Durante estes dois dias, os empresários tiram os fatos e gravatas para, num ambiente informal, aprenderem ou fazerem surf, ‘standup paddle’, ciclismo de montanha e atividades como ioga na praia, assistirem a palestras com vista para o mar e divertirem-se na noite.

A Web Summit é uma conferência global de tecnologia, inovação e empreendedorismo que decorrerá este ano em Lisboa (e nos dois anos seguintes, com possibilidade de mais dois anos), onde são aguardados mais de 50.000 participantes, de mais de 165 países, incluindo mais de 20.000 empresas, 7.000 presidentes executivos, 700 investidores e 2.000 jornalistas internacionais.

Entre os oradores, estarão os fundadores e presidentes executivos das maiores empresas de tecnologia, bem como importantes personalidades das áreas de desporto, moda e música.

sydr971m

Fonte: Renascença no Ar

Obama volta a criticar Trump. “Não está qualificado”

04 nov, 2016 – 22:44

Eleições norte-americanas realizam-se a 8 de Novembro.

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, diz que o candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, viola os valores norte-americanos e “não está qualificado” para assumir a presidência.

Obama viajou até Fayetteville (Carolina do Norte), pedindo aos cidadãos que vão votar na próxima terça-feira, numa altura em que se realizam comícios em estados que podem ser determinantes para a escolha do próximo presidente dos Estados Unidos.

Numa referência a Trump, Obama disse: “Não podemos ter um Presidente que todos os dias parece violar os valores básicos” que os norte-americanos “ensinam aos seus filhos” e em relação a quem Trump tem falhado tantas vezes que “se tornou algo normal”.

“O meu nome pode não estar no boletim de voto, mas tudo por aquilo que eu trabalhei está lá: justiça, igualdade, empregos. Não escolham o medo, escolham a esperança”, pediu Obama, que voltou a arrastar multidões na recta final para as eleições presidenciais, e que conta com melhores índices de popularidade que a candidata democrata, Hillary Clinton, por quem fez campanha.

Na opinião do Presidente, Trump não tem qualquer qualificação para o cargo, mas avisou os eleitores da Carolina do Norte que estão “totalmente qualificados de sair para votar e evitar que [Trump] chegue à Casa Branca”.

Trump ganhou terreno nas últimas sondagens na Carolina do Norte, onde está ligeiramente á frente de Clinton.

Se o republicano vencer neste estado, cresceriam consideravelmente as suas possibilidades de alcançar os 270 votos eleitorais (de um total de 538) necessários para alcançar a presidência.

Ainda assim, teria de conquistar à sua rival todos os outros lugares competitivos e arrebatar inesperadamente algum estado tradicionalmente democrata.

Fonte: Renascença no Ar (Silva Peneda)

Acordo secreto Paris-UE? “Uma machadada”, diz Silva Peneda

03 nov, 2016 – 11:42

Presidente francês revelou que há um acordo com a Comissão Europeia que permitiria a França não cumprir as regras do défice.

Opções

Renascença

Renascença

Silva Peneda, antigo consultor do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, classifica como uma grande trapalhada o alegado acordo secreto que existe entre Paris e a Comissão Europeia, que permitiria que França não fosse obrigada a cumprir as metas do défice.

Este caso “significa uma grande trapalhada” e explica uma frase de Jean-Claude Junker, há tempos, quando foi posto o problema do défice francês: “A França é a França”. Na sua opinião, isto demonstra uma excepção para Paris e para os poderosos. “O que significa que a UE tem um problema com os países do Sul da Europa e há um tratamento desigual”, alerta.

“É um caso grave porque fere um dos princípios fundamentais. É uma machadada quanto a mim significativa, embora não conheça os detalhes. Se há um tratamento desigual da questão do défice relativamente à França, acho que os outros países devem tomar algum tipo de posição”, diz à Renascença.

“De certeza absoluta que não há nenhum acordo escrito. O que demonstra aquela velha tese de que as coisas mais importantes não estão escritas, mas são as que se combinam”, remata.

A revelação da existência deste acordo é feita pelo próprio presidente francês, François Hollande no livro “Um Presidente não deveria dizer isto” feito por dois jornalistas do “Le Monde” após dezenas de entrevistas a Hollande.

Segundo terá dito Hollande, as promessas à União Europeia de manter o défice abaixo dos 3% do PIB, tal como é exigido pelas instituições europeias, foi “uma mentira pura e simples, aceite por todas as partes”. O acordo terá sido estabelecido em 2012, ano em que Hollande foi eleito, e seria válido até 2017.

CGD? Outra trapalhada

Já sobre a entrega de declarações de rendimentos dos administradores da Caixa Geral de Depósitos, Silva Peneda considera que se está perante “outra trapalhada”.

O antigo consultor diz que vê “com preocupação” esta polémica e considera que os administradores devem entregar a documentação, lembrando que os administradores do “próprio Banco de Portugal também apresentam as declarações de património”.

Silva Peneda diz ainda concordar com o socialista João Cravinho que, na Renascença, considerou o caso “aberrante”, acrescentando que “a República não pode ficar refém de ninguém.

Vida e Morte…

ujO Vaticano divulgou hoje (25) regras para a cremação de católicos, que incluem a proibição à conservação das cinzas do morto em casa, evitando que elas se tornem “lembranças comemorativas”.

As normas estão presentes em uma instrução da Congregação para a Doutrina da Fé aprovada pelo papa Francisco. De acordo com o documento, se for escolhida a cremação, as “cinzas do defunto devem ser mantidas em um lugar sacro, ou seja, nos cemitérios, e a conservação das cinzas no ambiente doméstico não é permitida”.

O Vaticano abre exceção apenas para casos envolvendo circunstâncias graves e excepcionais, dependendo das condições culturais de caráter local. “No entanto, as cinzas não podem ser divididas entre os membros da família e devem ser respeitadas as condições adequadas de conservação”, acrescenta a instrução.

Além disso, a Igreja Católica proíbe que o resultado da cremação seja transformado em “lembranças comemorativas” e “objetos de joalheria”, indo contra a prática de colocar as cinzas em adereços como colares, para recordar o ente querido.

Outro hábito comum, o de espalhar as cinzas no mar ou em qualquer outro tipo de ambiente, também foi vetado pela Congregação para a Doutrina da Fé. “Para evitar qualquer tipo de equívoco panteísta, naturalista ou niilista, não é permitida a dispersão das cinzas no ar, na terra, na água ou de outro modo”, afirma o documento.

Caso o morto tenha expressado em vida o desejo de ser cremado por razões contrárias à fé cristã, a Igreja deve negar a realização de seu funeral. “A Igreja não pode permitir abordagens e ritos que envolvam concepções erradas da morte, como a anulação definitiva da pessoa, o momento de sua fusão com a mãe natureza ou com o universo, uma etapa no processo de reencarnação ou a libertação definitiva da prisão do corpo”, indica a instrução aprovada pelo papa.

Embora diga que a cremação de um cadáver não é por si só a negação da fé cristã, o documento ressalta que a preferência continua sendo pelo sepultamento dos corpos. As regras são uma forma encontrada pelo Vaticano de regulamentar uma prática difundida em muitos países, mas que em alguns casos está baseada em ideias que contrariam a doutrina católica.

A cremação é permitida pela Santa Sé desde 1963, desde que não seja um ato de contestação da fé. “A Igreja não tem razões doutrinárias para impedir tal praxe, já que a cremação do cadáver não atinge a alma e não impede a onipotência divina de ressuscitar o corpo. Mas a Igreja continua preferindo o sepultamento porque assim se mostra uma estima maior em relação aos mortos”, acrescenta o documento.
fonte: agenciabrasil.ebe.com.br
…………………………………………………………………….

Sinceramente, eu com 70 anos de idade, já penso muito
mais na morte do que há umas dezenas de anos atrás,
e sinceramente ainda não consegui decidir se quero
ser cremada ou não, o que o meu marido já decidiu:
não quer ser cremado.
Mas não entendo, porque o Vaticano tenha que tomar
esta decisão, e muito menos que haja razões para
não haver acompanhamento religioso….
Sei que há alguns crematórios que têm um pequeno
jardim, onde as cinzas são depositadas durante
1 ano, com uma simples placa com o nome, se eu
decidir pela cremação, talvez gostasse que fizessem
isso, nunca que as m/cinzas viessem para casa.
Marques Irene

.

.

.