De: Carla Andrino

 

VIDA,

Terminei os tratamentos, VIVA! Por isso, hoje, não quero ver nem ouvir nada a não ser sorrir e sentir-te (desde o inicio que tinha a foto preparada para este final, porque ACREDITAVA nele)! E agradecer. Agradecer teres querido continuar a namorar comigo, VIDA!

Agradecer aos técnicos de saúde do IPO de Lisboa(médicos, psicólogos, enfermeiros, fisioterapeutas e auxiliares), pela aliança entre a excelência profissional e o humanismo;

Agradecer à família e aos amigos que acompanharam, de perto, este momento, único, de crescimento;

Agradecer aos milhares de pessoas (a maior parte desconhecidas, mas Muito Queridas), que lutaram pela minha recuperação – expressa através de mensagens, partilha de histórias e, até, orações a entidades superiores;

Mas o meu agradecimento ESPECIAL vai para ti,meu querido marido, amor, companheiro e amigo. Ao longo destes 10 meses estiveste, como sempre, discreto mas presente. Contido, mas comovido. Acompanhaste-me ao hospital, diariamente, esperando horas, com a tranquilidade e o sorriso que te caracterizam. Imagino (sim, porque nunca mo disseste), o medo que sentiste em me perder. Em casa, cumpriste, à risca, todos os procedimentos recomendados pelos médicos, transformando-te no melhor enfermeiro do mundo. Do “meu” mundo. Aqui e ali, vi os teus olhos encherem-se de lágrimas que não permitistes deixar cair. Por ti, por mim, por nós.
Amo-te tanto, meu Amor!

Sossega, sosseguem! Desde o início que fiz questão de ter uma palavra a dizer em todo este processo. Não, não ia morrer disto. Mas, caso isso acontecesse, seria com a dignidade com que me tenho esforçado por viver. O presente, não o passado nem o futuro. O aqui e o agora. É isso que importa, o que fica para a história. Para mais tarde recordar.

Amanhã, mais do que comemorar o meu 51 aniversário, vou festejar a VIDA. Prometo ser-te fiel e honrar-te até ao fim,VIDA!