O BEIJO

O beijo é muito importante ao longo da nossa vida…

Quando nascemos o beijo da nossa mãe…e também do nosso pai…

Enquanto crianças a forma como somos amados(as), a ternura que nos
dão, e obviamente muita através dos beijos, podem moldar o nosso
caráter…

No início da adolescência…nas nossas amizades, no nosso primeiro namoro…

Quando sentimos pela primeira vez o que é estar apaixonada(o)…Aí são

aqueles momentos em que quantos mais beijos damos ou recebemos mais

queremos…há uma necessidade absoluta…

Será muito bom quando se mantém a partir daí na nossa vida, o amor e os
beijos. Que a relação entre duas pessoas nunca perca a chama…e os beijos
continuem a acontecer.

Às vezes perto da Morte (o final da nossa vida) também necessitamos do
beijo. Há uma necessidade de sentir que quem está perto gosta de nós, e nos
dá beijos, para que tenhamos força para superar o sofrimento ou para ultrapassar
“a porta” sabendo que valeu a pena a vida.

Em suma: a vida sem o beijo não valeria a pena.

quadro: O beijo: Gustav Klimt

OUTROS TEMPOS…

Condena-se hoje (e bem) o trabalho infantil em Portugal, embora ele ainda exista.

Conheci uma menina que com apenas sete anos, tinha que ir com uma “trouxa” de

roupa, um banco de madeira (para se ajoelhar) e um bocadinho de pão, para um

ribeiro lavar a roupa de todos os elementos da casa…e de onde só podia sair, quando

a roupa que por lá estendia estivesse seca, portanto ao fim do dia…

Quando não tinha que fazer essa tarefa, ia a uma bica encher bilhas de barro com

água para levar a casa de algumas senhoras(não havia água canalizada) em troca

de alguns “tostões” que tinha que entregar em casa….

Não sabia o que era ter brinquedos…

Não sabia o que era chocolate…

E não sabia muitas outras coisas…

Felizmente, que apesar da crise que Portugal atravessa, muitas das crianças

de Portugal têm uma vida muito melhor.