C o n v e r s a n d o

Portugal porque sofreu(e sofre) de uma pandemia,

chamada de Covid-19, que trouxe imenso soofrimento

aos portugueses e muito perda de seres humanos,

vai receber de Bruxelas imenso dinheiro a que

chamaram “bazuca”…

Foi elaborado um plano a que deram o título de

Plano de Recuperação e Resiliência(PRR) e agora

que já chegaram os primeiros milhões o Primeiro-

Ministro começou a falar de planos que já estão

em avanço, e comecei a ouvir falar da construção

de uma barragem.

Ingenuamente pensei, que uma parte significativa

desse dinheiro, seria para aplicar no Serviço Nacional

de Saúde, com a construção de novos Hospitais,

Centros de Saúde, equipamentos para os mesmos

(muitos estão obsoletos) e admissão de muitos mais

enfermeiros,médicos e técnicos.

Foi a epidemia, que nos levou à carência de dinheiro,

e afinal qual o montante que vai ser aplicado no

SNS(Serviço Nacional de Saúde)? E quando surgir

outro tipo de epidemia, continuamos a não estar

devidamente preparados?

Há coisas que eu não entendo…vocês entendem e

podem esclarecer-me?

Irene Alves

C o n v e r s a n d o…

Muita vez me pergunto como grande

parte dos portugueses aguentam viver

em Portugal, com um minímo de qua-

lidade de vida e não encontro resposta!

Parece que somos um país de contrastes!!! Uns têm muito dinheiro

para fazer uma vida muito avantajada,

ter acesso a carros de alta cilindrada e

vivendas com piscinas. Relógios de

altos valores, etc.etc.

Outros com reformas miseráveis e

um Serviço Nacional de Saúde que

muito se degradou após o Covid-19

(consultas com mais de um ano de

atraso) e depois a nível dos medicamentos cada vez há mais sem

comparticipação ou com uma partici-

pação muito baixa.

Para os velhos está tudo péssimo(excepto os ricos) e para os

novos a situação não é melhor no

presente e no futuro será bem pior,

e no entanto já só se ouve os políticos

a falarem dos muitos milhões que

irão chegar de Bruxelas, mas que

acreditem nada chegará ao bolso

dos desempregados, reformados com

as reformas miseráveis que existem

(muitas reformas a baixo do ordenado

minímo nacional)…mas irão parar às

mãos daqueles “do costume”…

Viver em democracia é bom, mas porquê

que há tanta diferenciação entre os que

vivem com tremendas dificuldades e os

que têm milhões, muitos deles com

vigarices enormes e divídas tremendas

aos Bancos, sem nada lhes acontecer?

Estou muito desiludida com quem nos

tem governado. Não é fácil acreditar

que trabalhem para o bem daqueles

que mais precisam.Não me parece mesmo!

Irene Alves